O SOL NASCEU PRA TODOS E A ENERGIA SOLAR JÁ É UMA REALIDADE PARA MUITOS BRASILEIROS

 

 

Hoje aproximadamente 70.000 unidades consumidoras já produzem sua própria energia, utilizando o sistema de compensação ligando o gerador na rede da concessionária.

 

Já imaginou quanto estará custando a energia nos próximos 5 anos?

 

O grande alavancador da geração solar no Brasil não é simplesmente o aspecto sustentável, mas principalmente o fato de que a tecnologia mostra-se como uma excelente opção de investimento financeiro a longo prazo devido às condições naturais com alta irradiação solar e alto custo da energia.

 

O retorno sobre o investimento se dá em 3 ou 4 anos e com uma boa linha de financiamento a prestação pode ficar menor do que o valor de sua conta.

 

A vida útil é de pelo menos 25 anos.

 

O que está esperando?

 

Aguardamos seu contato !!!

 

 

 

 

Os sistemas fotovoltaicos mais utilizados são:

 

  • Sistemas isolados,
  • Sistemas conectados a rede, 
  • Sistemas conectados com backup.
hibrido.jpg
solar edge.jpg

Nosso foco de atuação e o modelo mais econômico, são os sistemas fotovoltaicos conectados a rede, pois não há a necessidade do uso de baterias de armazenamento de energia. (SFVCR)

COMO FUNCIONA UM SISTEMA CONECTADO A REDE ELÉTRICA? 

 

separador.png
insolarj geração distribuida.png

 

  • Durante o dia, a luz solar incide nos módulos do seu telhado eé absorvida e convertida em energia elétrica corrente contínua CC. 

 

  • O Inversor ou o microinversor captam essa corrente contínua CC e transforma em corrente alternada CA.

 

  • A corrente alternada CA é a que está disponível em nossas tomadas, alimentando lâmpadas e aparelhos eletro-eletrônicos em geral.

 

  • Como o sistema produz mais do que o necessário para a utilização durante o dia, o excedente vai para a rede elétrica e pode ser percebido através do medidor bidirecional instalado pela concessionária.

 

  • Esse consumo excedente gera créditos energéticos em kWh e são consumidos a noite (quando o sistema não produz energia).

 

  • Caso ainda permaneçam créditos energéticos, estes podem ser utilizados por exemplo em um outro imóvel num prazo de até 60 meses.

 

 

 

AneelQuemPode.jpg

 

INCENTIVOS & REGULAMENTAÇÃO 



 

Resolução 482/2012 - A ANEEL através da Resolução Normativa n.º 482, criou o primeiro ato regulatório e estabeleceu as regras para a micro e a minigeração distribuída de energia solar, onde a energia excedente produzida por painéis fotovoltaicos instalados em telhados gera créditos que podem ser compensados, abatendo assim os custos da conta de luz. Este sistema de compensação é conhecido mundialmente como netmetering. Essa norma representa o marco inicial da geração solar distribuída no Brasil.

write-593333_960_720.jpg

 

Resolução 687/2015 - Após 3 anos da primeira publicação, algumas regras precisavam ser ampliadas e outras criadas, para que a geração distribuída pudesse ser melhor aproveitada. Neste novo ato regulatório, a ANEEL estabeleceu novas regras que passaram a valer desde 1o de Março de 2016. Podemos destacar alguns pontos da resolução como a mudança dos limites de capacidade instalada para micro e minigeração, a redução na burocracia de conexão dos sistemas, a ratificação do “auto-consumo” remoto e a criação da geração compartilhada (condomínios).

 

 

leis.jpg
Ipi2013-12-24-10-23-14.jpg

 

 

LEI 13.169 06/10/15, Ficam reduzidas a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/Pasep e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social - COFINS incidentes sobre a energia elétrica ativa fornecida pela distribuidora à unidade consumidora na quantidade correspondente à soma da energia elétrica ativa injetada na rede de distribuição pela mesma unidade consumidora com os créditos de energia ativa originados na própria unidade consumidora no mesmo mês, em meses anteriores ou em outra unidade consumidora do mesmo titular, nos termos do Sistema de Compensação de Energia Elétrica para micro geração e geração distribuída, conforme regulamentação da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL.

 

 

PLS 167/2013 – PL 8322/2014 Em 2013, o Senado Federal aprovou a Projeto de Lei do Senado nº 167. Com isso, o projeto previa a isenção de Impostos sobre Produtos Industrializados (IPI) para painéis fotovoltaicos e similares. Posteriormente, em função de cláusulas adicionais, elementos acessórios como cabos, conectores, estruturas de suporte passaram a integrar a listagem de itens e estão livres do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Já outros equipamentos, como os painéis fotovoltaicos, também teriam isenção de PIS/Pasep e Cofins. O projeto de lei, que passou por modificações desde sua redação original e tornou o PL 8322/2014. 

pispased.png
mapa-isenção-icms-brasil-300x295.png

CONVÊNIO ICMS Nº 16 DE 22/04/2015, Autoriza a conceder isenção nas operações internas relativas à circulação (ICMS 0%) de energia elétrica, sujeitas a faturamento sob o Sistema de Compensação de Energia Elétrica de que trata a Resolução Normativa nº 482, de 2012, da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL, 
Quase todos os estados brasileiros aderiram ao protocolo como podemos ver na foto ao lado esquerdo.

incentivo-fiscal-para-uso-de-energia-fotovoltaica-1-thumb.jpg

PROJETOS FOTOVOLTAICOS 

separador.png